MARIA GABRIELA, DE VENEZUELA PARA HOLLYWOOD
abr 2, 2019
Nenhum comentário

A venezuelana María Gabriela De Faría está vivendo um grande sonho: ela é a protagonista de uma das séries mais assistidas do Canal FX, Deadly Class. O site 15 Minutos falou com a atriz, que nos contou como a vida mudou e como é difícil abrir um campo para uma latina nos Estados Unidos.

  • Como se sente ao chegar a Hollywood? Foi um sonho realizado?

Definitivamente! Estou morando em Hollywood há alguns anos, ou pelo menos tendo a cidade-base, e esse tem sido meu sonho desde que deixei minha zona de conforto e me mudei para Los Angeles.

  • Vamos falar sobre seu personagem em Deadly Class.

Maria é um tornado de emoções. Em um segundo ela é extrovertida, charmosa e gentil e no próximo é deprimida e transformado em uma máquina de matar. Ela é bipolar e é medicada em segredo. Em King’s Dominion, essas características são quase quase um super poder. É uma das melhores da academia, mas não pertence a esse mundo. Ela está constantemente procurando por uma saída.

  • Como foi entrar no mercado dos Estados Unidos?

Difícil! Embora haja cada vez mais oportunidades para os latinos, ainda há muitas dificuldades. Levou-me anos e muitas rejeições para receber um sim. E certamente muitas outras rejeições me aguardam porque o portfólio está cheio delas e se chegar lá é difícil, ficar mais difícil ainda. Isso me fez apreciar e admirar muito mais latinos que fizeram carreira em Hollywood, porque mais do que talento é uma raça de força espiritual e emocional.

  • Qual foi a parte mais bonita dessa experiência?

Sem dúvida, as relações humanas que criei ao longo deste projeto. Com o passar do tempo, percebo que a única coisa que realmente importa na vida são as verdadeiras e honestas conexões humanas que criamos ao longo do caminho. Eu tive a sorte de estar na série com os seres humanos mais talentosos, amorosos e generosos e é isso que eu vou lembrar toda a minha vida.

  • Você é o rosto latino da série. Que responsabilidade você sente quando representa o talento latino?

Muito! Eu sinto que não está apenas fazendo um bom trabalho para mim e para minha carreira, mas também para deixar uma boa imagem dos latinos no mundo. Ser capaz de fazer parte dessa geração que está tentando abrir uma porta tão pesada que é Hollywood, para que as gerações seguintes tenham mais facilidade.

  • Como estava preparando seu personagem baseado em uma revista em quadrinhos?

Complexo. É um personagem que antes era meu e tinha milhares de fãs ao redor do mundo para a Graphic Novel. Para mim, era essencial dar aos seguidores fiéis dos quadrinhos tudo o que eles querem para ser o personagem da “live action” e fazê-lo da maneira mais honesta possível. Eu tive que olhar para dentro de mim por toda a escuridão, dor e ansiedade que eu carrego e dou ao personagem. Tarefa não é fácil porque é muito cansativo viver nesse estado de espírito 14 horas por dia, 5 dias por semana durante os 4 meses que duraram as filmagens.

  • Em sua rotina diária, o que você faz em 15 minutos?

Eu consigo sair. Isso inclui tomar banho (esperamos só 5 minutos para ajudar o planeta), hidratar, vestir… tudo!